Como funcionam as provas por impressão

­As impressões digitais, juntamente com a lente de aumento e o microscópio são uma das mais icônicas e reconhecidas imagens conectadas às investigações de cena do crime e à ciência legista. As montagens dos créditos de abertura de muitos filmes de crime costumam sobrepor enormes e sinistros detalhes de impressões digitais sobre fotos dos personagens principais. O antigo logotipo da rede criminal TruTV, anteriormente conhecida como Court TV, apresentava uma imagem em destaque de uma impressão digital. Esta forma de prova tornou-se uma metáfora para exclusividade, um conceito importante na ciência legista.

Com tecnologia mais sofisticada, como o arquivamento de DNA, especialistas estão descobrindo que as impressões digitais não são um sistema tão perfeito quanto gostaríamos de pensar. Apesar da importância do recolhimento de impressões digitais e de sua prática útil, algumas pessoas de fato discutem quanto à sua suposta infalibilidade: Alguns tribunais até têm arruinado casos devido à má combinação de impressões digitais, incluindo um julgamento de assassinato em Delaware, em 1998, no qual um homem foi erroneamente condenado e passou dois anos na prisão .

Impressões digitais não são as únicas coisas que um suspeito pode deixar na cena do crime. Uma das mais influentes filosofias por trás da ciência legista moderna, comumente conhecida como princípio de troca de Locard, diz que "com o contato entre dois itens, haverá uma troca entre eles". No fim de sua carreira, o químico e cientista legista Paul L. Kirk elaborou:

"Onde quer que ele pise, onde quer que ele toque, o que quer que ele deixe, mesmo inconscientemente, servirá como testemunha silenciosa contra ele. Não apenas suas impressões digitais ou suas pegadas, mas também seus cabelos, as fibras de suas roupas, o vidro que ele quebra, as marcas de ferramenta que ele deixa, a tinta que ele arranha, o sangue ou sêmen que ele deposita ou recolhe - tudo isso e mais dão um testemunho silencioso contra ele"

­Outra opção que os investigadores têm quando examinam uma cena de crime é a prova por impressão, um aspecto importante e às vezes subestimado do processo de investigação criminal. O que os especialistas legistas procuram quando investigam provas por impressão? Como eles conservam a prova por impressão, e o que ela pode dizer sobre uma cena de crime? Para descobrir como os cientistas legais fazem uma impressão sobre o júri, continue a leitura

Pegadas, faixas de pneus e marcas de ferramentas

­­Embora não estejamos conscientes disso o tempo todo, cada movimento que fazemos - seja a pé ou em um veículo - deixa algum tipo de impressão. Por exemplo, um criminoso entrando em um prédio para roubar um banco e em seguida cantando pneus com o carro de fuga, não pode evitar andar no piso e deixar marcas de pneus. Um assassino também teria problemas ao tentar entrar e sair da casa de sua vítima sem pisar em um tapete ou tocar no solo do lado de fora.

Provas por impressão acontecem quando qualquer objeto ou material toma a forma de outro objeto através de contato físico direto. Um juíz ou júri pode considerar qualquer tipo de impressão como prova em um julgamento, e a prática funciona da mesma forma que as impressões digitais: Uma vez que os investigadores recolhem as provas, as impressões são usadas para encontrar combinações legítimas. Existem três tipos principais:

·       pegadas (ou impressões de sapatos)

·       impressões de faixas de pneus

·       marcas de ferramentas

­Quando entramos em uma sala, não costumamos pensar sobre nossas pegadas. A menos que estejamos rastreando na lama ou água de chuva e fazendo uma grande bagunça, é quase impossível ver os traços que deixamos a cada passo. Mas várias coisas acontecem quando nossos sapatos tocam o chão.

Talvez o mais surpreendente seja que mesmo sapatos limpos e secos deixam impressões em uma superfície rígida ao criar cargas eletrostáticas. Simplesmente jogar pó para recolher impressões digitais sobre pegadas recentes irá atrair o pó em direção à carga e criará uma imagem visual da impressão. Infelizmente, cargas estáticas residuais não duram muito, e podem ser facilmente desfeitas, por isso, especialistas legais confiam mais na deformação das áreas de superfície. Impressões de sapatos sobre materiais como terra, areia ou neve podem produzir uma pegada em grande parte tridimensional. Se você já dirigiu um carro no meio da lama, deve ter visto a cicatriz que os pneus deixam no chão. Tapete ou grama, contudo, vão se deformar e recuperar a superfície plana mais facilmente, e uma impressão nesses tipos de superfícies irá durar apenas um curto período de tempo. Ainda assim, manchas e outros resíduos deixarão marcas bidimensionais e criarão uma imagem reconhecível.

Marcas de pneus funcionam como as pegadas, porém são mais fáceis de identificar. Inicialmente, uma marca de pneu pode dizer ao investigador a marca de pneu que o criminoso usava, mas isso apenas restringe um pouco as coisas. Uma inspeção adicional, entretanto, pode revelar mais - defeitos e desgaste causados em uma faixa de pneu por pregos, cascalhos, remendos e problemas de alinhamento podem identificar um conjunto específico de pneus.

Finalmente, marcas de ferramentas são criadas quando uma ferramenta entra em contato com outro objeto ou superfície e deixa uma impressão significativa. Suspeitos costumam usar cortadores de fios, pés-de-cabra e chaves de fenda para cortar e arrombar através de janelas e portas. Todas essas ferramentas deixam marcas distintas que os investigadores podem identificar facilmente - quase como se a própria ferramenta deixasse uma impressão digital na cena do crime.

Sabemos que os criminosos deixam esses traços quando cometem crimes, mas o quão fácil é detectá-las? E como os especialistas as registram para análise posterior?

Conservando provas por impressão - moldes de gesso

Ao abordar uma cena de crime com a intenção de registrar provas por impressão, a primeira coisa que os investigadores legais aprendem a fazer é proteger e preservar a área. Como as impressões são facilmente perturbadas e frequentemente subestimadas, uma cena cheia de muitas pessoas andando pode rapidamente tornar-se inútil para alguém em busca de pegadas.

Assim que o perímetro está seguro, os investigadores entram, procurando impressões e reconstruindo os eventos do crime com todo o seu conhecimento. Eles tentam determinar fatos importantes como a direção de viagem ou o número de suspeitos na cena. Técnicas especiais de iluminação podem desvendar impressões ocultas, incluindo o uso de iluminação oblíqua. Ao focalizar uma fonte de luz diagonalmente sobre o chão, e não verticalmente, as marcas de uma impressão criam sombras que alertam os investigadores quanto a superfícies irregulares ou desiguais. Fotografias de impressões descobertas também são tiradas para documentação visual.

Embora a prova por impressão seja extremamente frágil, se deixada intocada, ela pode durar longos períodos de tempo. Enquanto a cena do crime não for prejudicada pelo clima (principalmente vento, chuva e neve) ou interferência de outros sapatos, pneus ou ferramentas, existem duas principais técnicas que os especialistas usam para colher provas por impressão:

·       impressões latentes (bidimensionais) - a recuperação de impressões latentes é muito semelhante à coleta de impressões digitais básica. Esta técnica é usada para impressões bidimensionais difíceis de preservar em materiais como piso cerâmico, piso de madeira ou cadeiras. O pó é aplicado com uma escova para tornar a impressão mais visível, e então um registro visual da impressão é feito em fita.

·       modelagem - para recuperar impressões maiores e tridimensionais, como marcas de pneus ou pegadas em condições enlameadas, os especialistas usam a moldagem. O processo funciona muito da mesma forma que um ortodontista faz um modelo dos dentes de um paciente: uma substância é derramada na impressão, endurecida, e então removida, fornecendo um molde da impressão no solo. Investigadores usam uma variedade de produtos para criar moldes, mas a pedra dental é de fato considerada amplamente como o melhor material de moldagem, devido à sua força, precisão e facilidade de uso.

Com as melhorias nos equipamentos e técnicas disponíveis para a ciência legal, muitos nesse campo estão percebendo a importância das provas por impressão. Embora fáceis de subestimar e difíceis de localizar, as pegadas e outras provas por impressão, deixadas na cena de um crime, são tipicamente ainda mais predominantes que as impressões digitais, e podem fornecer importantes pistas para casos misteriosos.